segunda-feira, 24 de abril de 2017

Especial Setusa (Final)

Tres novas linhas foram implantadas pelo Servico Estadual de Transportes Urbanos na capital Paraibana em Janeiro de 1989 - na época com o objetivo de atender antigas reinvindicações das comunidades pessoense, visando sobretudo beneficiar trechos de João Pessoa que vinham se ressentindo da ausência deste tipo de serviço. 

As linhas 2300 e 3200 (circulares), que ligavam e ligam os conjuntos Valentina de Figueiredo a Mangabeira ao terminal urbano, via Pedro II, voltando pelo corredor 2 de Fevereiro, e vice versa; a linha 1001, ligando mandacaru ao Bairro das Industrias, passando pela Lagoa, e a linha 601 que ligava Bessamar ao Baixo Roger, pela via expressa Tancredo Neves, passando também na lagoa e no terminal urbano. Na época a superintendência de transportes publico, STP, informou que com a ativação dessas linhas, seriam desativadas as linhas 111-Valentina (Via Cruz das Armas), servida pela Etur e a 002-Baixo Roger, que contava com 2 ônibus. 

Setusa em Campina Grande: Dentro de um curto espaço de tempo, o servico estadual de transportes urbanos S/A (Setusa) estaria sendo implantado em Campina Grande. O anuncio foi feito em 21 de Janeiro de 1989, pelo governados Tarcisio Burity, quando da visita trabalho que ele fez a cidade, para conhecer os andamentos de diversas obras que o governo do estado vinha realizando na rainha da borborema. Ao trazer essa informação para os Campinenses, Burity já havia aberto licitacao para aquisicao de 20 ônibus que funcionaram inicialmente em Campina Grande, no mesmo esquema adotados em João Pessoa, ou seja, com intinerario circular pela metade da passagem cobradas pelas empresas privadas e com acesso gratuitos para estudantes fardados, idosos policiais civis e militares. 

Segundo o governador Tarcísio Burity o Setusa é era empresa que estava dando certo, por que atendia aos reclamos do povo na capital do estado e certamente faria o mesmo serviço em Campina Grande. Desta forma, o Governado Tarcísio Burity, cumpria a promessa que havia feito a Campina Grande, ao conceber o pedido do prefeito Cássio Cunha Lima, no sentido de que o serviço estadual de transportes S/A, fosse estendido a cidade, idêntica providencia foi prometida para as cidades de Patos, Sousa e Cajazeiras. 

Setusa em Patos: Os patoenses aguardaram com muita expectativa, a chegada dos ônibus da Setusa na cidade, tendo em vista sobretudo as imensas dificuldades, que os operários enfrentavam diariamente, para chegarem aos seus locais de trabalho, nenhuma empresa havia tido sucesso na exploração de linhas, pois os táxis movidos a bujão, foram os responsáveis pelo fracasso das empresas, pioneiramente, Ivan lucena foi quem mais tempo passou servindo a coletividade, mas teve que vender a empresa para o Sr. Estevam Martins. 

No momento surgia a esperança da Setusa chegar ate Patos, depois do mega sucesso que a empresa vinha obtendo em João Pessoa. Três ou quatro ônibus seriam suficientes para atender a todos os bairros, de acordo com estudos dos empresários que pretendiam explorar o ramo. O fato e que se a Setusa chegasse a Patos, centenas de pessoas seriam beneficiadas.

Fim do Setusa: Os prejuízos alegados pelo Setusa nunca foram provados, entretanto, os benefícios são esquecidos, e que os benfeitos nunca são lembrados. Mas se isso por ventura acontecer e a memória falhar, mesmo assim os pontos serão somados por que a obra permanece e será difícil esquecer.

O Setusa veio por fim quando o Governo de Ronaldo Cunha Lima, e hoje em 2017 só encontramos fotos e carcaças do Setusa espalhados pelos ferros velhos da cidade, infelizmente uma obra tão bela acabou de uma forma tão insignificante como foi. 

Fonte: Arquivo Histórico Ônibus da Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...